segunda-feira, 29 de maio de 2017

Relato da Participação do Blog no IV Festival Brasileiro de Minifoguetes

Olá leitor!

Como todos devem saber, com o apoio da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) estivemos de 28/04 a 01/05 em Curitiba para acompanhar o “IV Festival Brasileiro de Minifoguetes”, evento este que nesta quarta edição foi organizado (pela primeira vez) pela ABMf/BAR - Associação Brasileira de Minifoguetes/Brazilian Association of Rocketry (entidade que no dia 24/04 completou um ano de fundada) com o apoio da UFPR, UP, UTFPR, OBA, Solve Indústria Mecânica, Acrux Aerospace Technologies e a Bandeirante Foguetes Educativos de Recife.

Antes de iniciamos o nosso relato sobre essa nossa segunda passagem pela capital paranaense, gostaria aqui de parabenizar a ABMF/BAR na pessoa de seu recentemente eleito presidente, o Prof. Carlos Henrique Marchi, pela organização desta quarta edição do festival, onde se pode observar (sem a menor margem de dúvida) o crescimento exponencial do Foguetemodelismo no Brasil. Valer dizer leitor que o evento deste ano superou em muito as expectativas que se tinha ao final da sua terceira edição em 2016, demonstrando com isso a consolidação desta modalidade técnica educativa no país, apesar da falta da presença de nossa Agencia Espacial de Brinquedo (AEB) que deveria estar apoiando no que fosse necessário e estimulando essa atividade no Brasil. Entretanto o que se pode esperar de um órgão que é uma tremenda piada, recentemente rebaixado pelo atual governo, e que se encontra sob o comando de um banana sem personalidade e conivente que só sabe viajar pelo mundo as custas do erário público e vender fantasias para sociedade?

Apesar disto leitor, e de todas as dificuldades que o Foguetemodelismo tem atravessado para se consolidar definitivamente no país, graças a iniciativas como a da ABMf/BAR sob a liderança deste grande educador, o Prof. Carlos Henrique Marchi, das atividades da galerinha da Associação COBRUF, sob a liderança do jovem Emersson Nascimento, no ensino fundamental e médio, das atividades da Acrux Aerospace Technologies com o seu SPACE CAMP BRASIL, esta sob a liderança do jovem Oswaldo Barbosa Loureda e das atividades da OBA, esta sob a liderança de outro grande educador, o Prof. João Batista Garcia Canalle, fora as atividades de grupos independentes como o CEFEC-PE, CEGAPA-RS CEFAB-BA e da empresa BANDEIRANTE Foguetes Educativos de Recife-PE, as atividades desta modalidade técnica educativa tem crescido exponencialmente no Brasil, ajudando na formação desses jovens, e quem sabe assim trazendo esperança para o nosso combalido e desprestigiado “Patinho Feio”.


Para quem não conhece, esse senhor com cara de assustado
é o Prof. Carlos Henrique Marchi da UFPR, o grande responsável
pela ideia da criação deste festival que, insatisfeito com o fim
das competições de Foguetes e Casats lançadas pela AEB e
alguns meses depois irresponsavelmente canceladas sem
qualquer justificativa, resolveu ao lado de seus alunos e com
alguns apoios externos (fora da UFPR) criar este evento que

hoje é um grande sucesso. Um grande exemplo de quando
a incompetência de alguns estimula a competência de outros.

Iniciando o nosso relato, deixei a minha querida e violenta capital baiana de São Salvador pouco depois das quatro horas da manhã do dia 28/04 pela companhia aérea Avianca, só chegando um pouco antes do meio dia no aeroporto da capital paranaense, de onde então segui de táxi para o meu hotel onde aproveitei para dormir um pouco e mais tarde postar algumas notícias no Blog.

Porém, antes de dormir em definitivo, rsrsrsrs, sob a orientação do Prof. Alysson Nunes Diogenes da UP, tive de sair correndo para uma feira de moda que estava acontecendo em Curitiba visando comprar algumas roupas, pois estava literalmente virando picolé no frio clima da capital paranaense.

Início do Festival Brasileiro de Minifoguetes - 29/04 (Sábado)

Na manha seguinte, logo após o café, segui então de carro na companhia do Prof. João Batista Garcia Canalle (coordenador da OBA e líder do GFRJ- Grupo de Foguetes do Rio Janeiro da UERJ) e do José de Ribamar da Silva Lima Jr. (Canal Poligonautas) para o CED (Centro de Educação Física e Desportos) no Centro Politécnico localizado no campus desta universidade, de onde das 07:30 as 14:00 ocorreria o primeiro dia de lançamentos das equipes participantes do festival nas categorias de Apogeu 50 e 100m e da Classe ½A.


O voo do minifoguete “Alfa-3” da equipe Boa Vista Modelismo
(BVM) da empresa Bandeirante Foguetes Educativos de Recife-PE.
O voo do minifoguete “Sonda I” da equipe Boa Vista
Modelismo (BVM) da empresa Bandeirante Foguetes
Educativos de Recife-PE, caindo de paraquedas após
o seu lançamento.

Confesso que já neste primeiro dia me empolguei não só com o entusiasmo das equipes e dos lançamentos que presenciei, bem como também por registrar pela primeira vez a participação de equipes de três escolas do ensino médio do Paraná, duas de Curitiba (CEPEV - Colégio Estadual Professor Elysio Vianna e o CEP - Colégio Estadual do Paraná) e uma de Pinhais (CEEP-NFM - Centro Estadual de Educação Profissional Newton Freire Maia), sendo esta mais uma prova do crescimento deste evento que este ano contou com a participação de trinta e nove equipes de trinta instituições educacionais de 11 estados brasileiros, e de dois grupos independentes, o CEGAPA de Pelotas-RS e o Boa Vista Modelismo de Recife-PE.

O Sr. Paulo Gontran (o Príncipe de Pelotas) com os integrantes
da equipe independente do Centro Gaúcho de Pesquisas
Aeroespaciais (GEGAPA) de Pelotas-RS.
O Sr. Roberto de Paula (de boné) da equipe independente "Boa Vista
Modelismo" da empresa "Bandeirante Foguetes Educativos" de
Recife-PE, preparando seus foguetes para lançamento durante
este primeiro dia do Festival.

A competição de lançamento transcorreu durante toda manhã com grande entusiasmo das equipes participantes, inclusive algumas delas quebrando recordes internos ou da própria competição, e então a partir das 14:00 foram encerradas as atividades e todos seguiram para o merecido almoço, momento este que em companhia do Prof. Marchi (UFPR), do Prof. Alysson Nunes Diogenes (UP) do Paulo Gontran (Grupo CEGAPA), do jovem Arthur Lang (da empresa brasileira “Rocket Science Modeltronics que desenvolveu um pequeno altímetro para foguetes denominado de MAU) além de alguns alunos e outras pessoas ligadas a organização do evento, seguimos então para almoçarmos em um restaurante de um shopping próximo do campus da UFPR, onde aproveitamos para colocar as conversas em dia tendo como tema a BAR o PEB e evidentemente a situação política conturbada que o nosso país atravessa e também um pouco de futebol, rsrsrsrsrs.

Como a programação desse primeiro dia do evento seguiria na parte da tarde com minicursos direcionados para os fogueteiros das equipes participantes, resolvi então retornar para o meu hotel de táxi na companhia do Paulo Gontran (o Príncipe de Pelotas) que estava hospedado em um outro hotel próximo. Veja abaixo leitor as equipes participantes deste primeiro dia de lançamentos do Festival.

Equipe Concorrentes Espetaculares do Colégio
Estadual Professor Elysio Vianna - Curitiba-PR
Equipe Longe Lateqve da Colégio Estadual
do Paraná (CEP) - Curitiba-PR
Equipe TARS do Centro Estadual de Educação
Profissional Newton Freire Maia - Pinhais-PR
Equipe Cruzeiro do Sul de Engenharia de Foguetes
(ECSEF) da PUC-RS - Porto Alegre-RS
Equipe Rocket Wolf do CEFET - Rio de Janeiro-RJ
Equipe Beyond Rocket Design da UNIFEI - Itajubá-MG
Equipe Carcará Rocket Design da UEMA - São Luís-MA
Equipe Capital Rocket Team da UnB - Brasília-DF
Equipe do Centro Gaúcho de Pesquisas
Aeroespaciais (GEGAPA) - Pelotas-RS
Equipe Gravidade Zero da UTFPR - Londrina-PR
Equipe Rocket da UTFPR - Cornélio Procópio-PR
Equipe Supernova Rocketry da UFJF - Juiz de Fora-MG
Grupo de Foguetes do Rio de Janeiro (GFRJ)
da UERJ - Rio de Janeiro-RJ

Vale registrar que na manhã desse primeiro dia pude não só reencontrar pessoas que estimo e respeito, e que não via há mais de um ano, bem como fazer novos contatos e também de solidificar meu conhecimento sobre um profissional da área de educação que aprendi a respeitar e admirar, isto desde a primeira impressão que tive do mesmo em nosso primeiro e rápido contato no Festival de Minifoguetes de 2016, meses depois durante a MOBFOG em Barra do Piraí-RJ e ainda mais durante este evento, quando então pude conhecê-lo melhor e também as suas ideais como educador. Trata-se do Prof. Paulo Roberto Lagos, um dos lideres da equipe de ensino médio do Colégio Estadual do Paraná, um exemplo de profissional de atitude e de ideias que ama o seu oficio e que vem realizando um grande trabalho nesta escola de ensino médio da capital paranaense.

Quero aqui registrar também a presença nesse primeiro dia de lançamentos de uma figurinha que me foi apresentada pelo Prof. Paulo Roberto Lagos como sendo um jovenzinho inteligente e de muito talento, uma das apostas para o futuro desse exemplar educador. Tratou-se do pequenino Erán de 10 anos, filho do Sr. Santiago e da Sra. Fanny Martinez, jovem este que sonha em se tornar Astrônomo e que em breve o Blog estará realizando uma entrevista com o mesmo para que assim todos possam conhecê-lo melhor.


Momento e que fui apresentado pelo Prof. Paulo ao
jovem Erán e a sua mãe Fanny Martinez.

Segundo Dia do Festival - 30/04 (Domingo)

Bom, o meu segundo dia no festival começou logo após o café da manhã quando o Prof. Carlos Henrique Marchi passou no hotel e seguimos então para o Campus da UFPR de onde estava planejada a saída da caravana de carros e ônibus para a "Fazenda Canguiri", local onde seriam realizadas as atividades de lançamentos deste segundo dia do Festival nas categorias de Apogeu 200 m, Classe A, 500 m e de 1000 m.


Participantes do festival se preparando para sair em caravana
do campus da UFPR em direção a Fazenda Canquiri.

A partir do Campus da UFPR, por orientação do Prof. Marchi, segui então de ônibus na companhia de um de seus alunos, o jovem Álvaro Ricardo Ferreira Bento Jr., com quem tive um bom papo durante o percurso até a fazenda, tendo como ponto principal a importância da compreensão pelo jovem brasileiro do que seja realmente Cidadania, para que assim seja possível formar verdadeiros cidadãos e conseqüentemente construí a partir dai uma grande nação.

Ao chegar a Fazenda Canguiri foi que eu pude então ter uma visão melhor do crescimento exponencial deste importante Festival para o Foguetemodelismo Brasileiro, isto fazendo uma comparação com o evento de 2016, já que o número de participantes visualmente impressionava e gerava já duvidas em minha pessoa sobre a viabilidade do uso desta local para o Festival do ano que vem, um problema que creio eu a organização do evento terá de solucionar.


Chegada a Fazenda Canguri de propriedade da UFPR.

Pois é leitor, a parte da manhã foi ocupada pelos lançamentos das equipes envolvidas com as categorias de Apogeu de 500 e 1000 m, onde se pode notar o grande avanço de varias equipes participantes em relação ao ano de 2016 e de novas equipes que participavam pela primeira vez no evento ou nessas categorias mais avançadas.

De minha parte posso relatar que o entusiasmo desses jovens que, aos berros comemoravam seus feitos, bem como aplaudiam os feitos dos outros e ate seus fracassos, foi extremamente contagiante, e se a minha paixão por este modelo de evento já era grande, se ampliou ainda mais, apesar de carregar por mais um ano a frustração de não poder acompanhar a participação de uma equipe de minha terra neste importante evento de Foguetemodelismo de âmbito nacional. Veja leitor abaixo algumas fotos das atividades do evento nesta parte da manhã.


Reunião do Prof. Marchi com os chefes das equipes,
antes do inicio dos lançamentos.
Uma visão de cima do belo local de lançamentos.
A grande tenda montada pela organização do evento
para que as equipes pudessem se instalarem
e realizarem as suas atividades.
O Prof. Antônio Carlos Foltran (equipe GREAVE da UP)
em companhia do Sr. Paulo Gontran (grupo CEGAPA).
Uma das equipes  nos bastidores preparando
seu foguete para lançamento.
A galera observando um dos lançamentos realizados
pela manhã. Do lado esquerda da tela de capacete
amarelo e camisa azul o Prof. Carlos Henrique
Marchi (UFPR) observa o lançamento.
O voo do minifoguete "Canalle Platinado I" do Grupo de
Foguetes do Rio de Janeiro (GFRJ) da Universidade do
Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
O Prof. Oswaldo Loureda, líder da equipe "Active Engineers"
da UNIAMERICA de Foz do Iguaçu-PR, envolvido com os seus
alunos na preparação para o lançamento do seu foguete.
O voo do minifoguete "ShenlLong" da Equipe Active
Engineers da Faculdade União das Américas
(UNIAMÉRICA) de Foz do Iguaçu-PR
Momento em que as equipes se dirigiam para o almoço após o
encerramento das atividades de lançamento da parte da manhã.

Com o final das atividades dessa manhã do segundo dia do festival, segui então na companhia dos Profs. Alysson Nunes Diógenes e Antônio Carlos Foltran (líderes da equipe GREAVE da UP - Universidade Positivo de Curitiba) e de seus alunos, para almoçamos no mesmo restaurante barato e de boa comida que almoçamos durante o evento de 2016, e onde aproveitamos para colocar a conversa em dia sobre vários assuntos e entre eles sobre a atual situação de nosso abandonado e desprestigiado "Patinho Feio".


Após o almoço as atividades da parte da tarde continuaram com os lançamentos dos foguetes das categorias Apogeu 200 m e da Classe A, onde da mesma forma com grande entusiasmo esses jovens demonstraram que não estavam para brincadeira concluindo assim um dia inesquecível e o ultimo dia de lançamentos do evento. Veja abaixo alguns desses jovens e os seus foguetes fantásticos.


O Prof. Alysson Nunes Diogenes da equipe "Greave" da UP
e o jovem Carlos Eduardo Anérico com o seu foguete
"Diamant" que quebrou o record da Classr D.
Um dos integrantes da equipe "Beyond Rocket Design"
da UNIFEI e o foguete lançado por eles no evento.
A jovem Camila Mafaldi da equipe "GREAVE" da UP com o seu
foguete "Sonda IV" que infelizmente falhou no lançamento.

Pois é leitor, e assim foi finalizado o segundo e ultimo dia de lançamentos dessa fantástica quarta edição do Festival Nacional de Minifoguetes que contou com a participação de grandes equipes de diversas instituições universitárias do país. Veja abaixo mais algumas dessas equipes que participaram desse segundo dia de lançamentos.


A famosa pioneira e premiada internacionalmente equipe
"ITA Rocket Design" do Instituto Tecnológico de
Aeronáutica (ITA) - São José dos Campos-SP.
A também bastante conhecida e pioneira equipe
"UFABC Rocket Desing" da Universidade Federal
do ABC (UFABC) - Santo André-SP.
A equipe TOPUS Pesquisas Aeroespaciais da Escola
de Engenharia de São Carlos da Universidade de
São Paulo (EESC/USP) - São Carlos-SP.
A equipe Minerva Rockets da Universidade Federal do
Rio de Janeiro (UFRJ) - Rio de Janeiro-RJ.
A equipe 'GREAVE' da Universidade Positivo
(UP) - Curitiba-PR.
O Grupo GINCARVI Jr. Tecnologia em Foguetes da
Universidade de Caxias do Sul (UCS) do campus
de Bento Gonçalves-RS.
A impressionante equipe "Active Engineers" da Faculdade
União da Américas (UNIAMÉRICA) de Foz do Iguaçu-PR,
equipe formada em pouco mais de dois meses pelo
conhecidíssimo jovem empreendedor Oswaldo
Barbosa Loureda (o barbudo já barrigudo de
camisa preta - olha a gula Oswaldo). 
O Grupo de Foguetes Tsiolkovsky (GFT)  da Universidade
Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) do
campus de Francisco Beltrão-PR.
O grupo independente do Centro de Pesquisas
Aeroespaciais (GEGAPA) - Pelotas-RS

Com o final das atividades todos então retornaram para o Centro Politécnico da UFPR, onde a programação continuaria a noite com três minicursos direcionados aos integrantes das equipes participantes.

Sendo assim, após me despedi da galera, segui de táxi para o meu hotel cansado, mas satisfeito e impressionado com esse segundo dia proveitoso do Festival, onde como já disse, pude observar com satisfação o grande crescimento do evento em todos os sentidos, coisa que me deixou muito esperançoso com que o futuro reserva para esta modalidade técnica educativa no país, e, quem sabe, em toda a América, já que a competição esta aberta também para equipes de todo o continente americano, inclusive equipes americanas e canadenses (que esse convite fique registrado), principalmente após a criação da nossa Associação Brasileira de Minifoguetes (ABMF) / Brazilian Association of Rocketry (BAR), associação esta que as equipes interessadas podem contactar através do Prof. Carlos Henrique Marchi pelo link: http://minifoguete.blogspot.com.br/. Vamos amigos das Américas, o Festival de 2018 vem ai e todos estão convidados. (Vamos amigos de las Américas, el Festival de 2018 viene ahí y todos están invitados / Let's go friends from the Americas, the 2018 Festival is coming and everyone is invited)

Terceiro e Último Dia do Festival - 01/05 (Segunda-Feira)

Bom leitor, o terceiro dia do Festival começou para mim com um delicioso Café da Manhã no hotel, de onde após fiquei aguardando o transporte para o Centro Politécnico da UFPR, local onde seriam realizadas as atividades deste ultimo dia do Festival.

Com a proximidade da hora em que seria realizada a primeira palestra do dia, fiquei preocupado por ninguém da organização do evento até aquele momento não ter aparecido no hotel, e resolvi então pegar um táxi e seguir para o Centro Politécnico, onde após chegar encontrei o primeiro palestrante do dia, o jovem Leandro Alcântara de Oliveira da Associação COBRUF que se encontrava a procura do local da palestra, e assim me juntei a ele nesta busca.

Após rodarmos um pouco pelo Campus da UFPR, finalmente encontramos o auditório do evento, mas não havia ainda ninguém no local e ficamos então aguardando alguém aparecer. Pouco antes do horário da palestra, chegou o Prof. Alysson Diogenes da UP - Universidade Positivo (uma das organizadoras do Festival) que então abriu o auditório e foi dado assim inicio as atividades do dia.

As atividades tiveram inicio com a interessante palestra do jovem Leandro Alcântara que apresentou aos presentes as atividades e os planos futuros da Associação COBRUF, uma organização sem fins lucrativos formada por estudantes universitários de diversas universidades do país que tem como objetivo o engradecimento do Foguetemodelismo no Brasil e do desenvolvimento de projetos aeroespaciais com foco educacional, como a Competição Brasileira Universitária de Foguetes, visando com isso impulsionar a expertise técnica de universitários brasileiros nos mais altos níveis internacionais e assim reunir conceitos tecnológicos inovadores que possam colaborar com a exploração espacial humana.


O jovem Leandro Alcântara da Associação COBRUF
ministrando a sua palestra.

Após a palestra da Associação COBRUF as atividades seguiram com o Sr. Roberto de Paula da empresa BANDEIRANTE Foguetes Educativos que apresentou a sua empresa aos presentes, e fez a divulgação de um projeto que a BANDEIRANTE vem trabalhando (ainda em fase inicial) visando desenvolver um altímetro para ser usado em minifoguetes.


O Sr. Roberto de Paula da empresa BANDEIRANTE
ministrando sua palestra aos presentes.

As atividades prosseguiram então com a palestra do jovem empreendedor e professor líder da equipe "Active Engineers" da Faculdade UNIAMÉRICA de Foz do Iguaçu-PR, Oswaldo Barbosa Loureda, que falou aos presentes sobre os planos futuros da sua empresa "Acrux Aerospace Technologies", empresa esta que agora passou a realizar as suas atividades em Foz do Iguaçu.


O jovem Oswaldo Barbosa Loureda falando aos presentes.

Com fim da palestra do Oswaldo, foi a vez então do jovem Arthur Lang da empresa brasileira "Rocket Science Modeltronics" apresentar aos presentes as atividades de sua jovem empresa e também falar sobre o desenvolvimento do altímetro MAU, altímetro este usado pelas equipes durante o festival.

O jovem Arthur Lang da empresa Rocket Science
Modeltronics falando aos presentes.


Apos essas palestras foi a vez da surpreendente equipe "Carcará Rocket Design" da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) realizar a sua sessão técnica, coisa que fez com muita competência, fruto do conhecimento adquirido por esses extraordinários jovens desde a sua primeira participação no festival em 2016, trabalho este que deveria obter maior reconhecimento e apoio das autoridades deste estado nordestino.

A equipe Carcará Rocket Design realizando a sua Sessão Técnica.

A atividades prosseguiram então com a apresentação da Sessão Técnica do "Grupo de Foguetes Tsiolkovsky (GFT)" da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) de Francisco Beltrão-PR, que também fez uma apresentação bastante didática e esclarecedora sobre as suas atividades.


O GFT realizando a sua Sessão Técnica.

E como ultima apresentação da parte da manhã o Sr. Reginaldo Miranda Junior do canal Homem do Espaço do youtube apresentou aos presentes uma interessantíssima palestra intitulada "A Era dos Space Shuttles" que, como o título já diz, abordou a história dos Ônibus Espacias da NASA desde os seus primórdios.


O Sr. Reginaldo Miranda Junior ministrando a sua palestra.

Após a interessante palestra do Sr. Reginaldo as atividades prosseguiram por um curto período com a exposição de foguetes e banners das equipes e as inscrições para o Concurso de Fotografias do Festival, e, logo após, foram encerradas as atividades da parte da manhã, quando então os participante seguiram para o almoço.

Enquanto os participantes realizavam as suas ultimas atividades da manhã, um bate papo informal entre um pioneiro do Foguetemodelismo Brasileiro e três grandes educadores ocorria nos bastidores sem que a grande maioria dos presentes percebessem, mas que foi registrada por um fotografo de pouco talento, porem sempre atento ao que acontece.


Da esquerda para direita - O bate papo informal entre o
pioneiro Paulo Gontran Ramos (o Príncipe de Pelotas) do
Grupo CEGAPA e os Profs. Antônio Carlos Foltran (UP),
Paulo Roberto Lagos e Amauri José da Luz Pereira

ambos da Colégio Estadual do Paraná.

E assim foram encerradas as atividades da parte da manhã e os participantes seguiram para o almoço, inclusive o autor deste relato que, em companhia do Sr. Paulo Gontran, do Oswaldo Barbosa Loureda e equipe, do Prof. Antônio Carlos Foltran da UP e dos integrantes da equipe "Carcará Rocket Design" da UEMA, seguimos por sugestão da equipe maranhense para almoçar em um restaurante barato e de comida boa próximo do campus da UFPR.

Após o retorno do almoço as atividades da parte da tarde foram iniciadas com a entrega do "Prêmio Amigo do Festival" que foi entregue a varias pessoas e representantes de instituições que tem contribuído com a realização deste importante Festival.


Um dos agraciados com o Prêmio Amigo do Festival, o
Prof. Alysson Nunes Diogenes, recebendo o prêmio

em nome do Curso de Engenharia Mecânica da
Universidade Positivo (UP) de Curitiba.

Após a entrega desse premio, as atividades prosseguiram com a Assembléia para escolha da primeira diretoria da Associação Brasileira de Minifoguetes (ABMF) / Brazilian Association of Rocketry (BAR) que ficou constituída pelos seguintes membros escolhidos para um mandato de dois anos:

Presidente: Carlos Henrique Marchi
Doutor em engenharia mecânica e professor na UFPR

Vice-presidente: Alysson Nunes Diógenes
Doutor em engenharia mecânica e professor na Universidade Positivo (UP)

Secretário: Guilherme Bertoldo
Doutor em engenharia mecânica e professor na UTFPR-FB

Tesoureiro: Diego Fernando Moro
Mestre e doutorando em engenharia mecânica e professor na Universidade Positivo (UP)

As atividades prosseguiram então com a entrega dos prêmios para as equipes vencedoras desse ano. Veja abaixo as campeãs do Festival Brasileiro de Minifoguetes de 2017.


A equipe  "Longe Lateqve" do Colégio Estadual do Paraná de
Curitiba, campeã da categoria Ensino Médio: Apogeu de 50 metros.
A equipe "Longe Lateqve" do Colégio Estadual do Paraná de
Curitiba, campeã da categoria Ensino Médio: Apogeu de 100 metros.
A equipe “LAE-½A” da Universidade Federal do Paraná
(UFPR) de Curitiba, campeã da categoria Classe ½A.
A equipe "Gravidade Zero" da Universidade Tecnológica
Federal do Paraná (UTFPR) campus de Londrina,
campeã da categoria Classe A.
A equipe "LAE-50" da Universidade Federal da Paraná
(UFPR) de Curitiba, campeã da categoria Apogeu de 50 Metros.
A equipe "LAE-100" da Universidade Federal do Paraná
(UFPR) de Curitiba, campeã da categoria Apogeu de 100 metros.
A equipe "Carcará Rocket Design" da Universidade Estadual
do Maranhão (UEMA) de São Luís, campeão da categoria
Apogeu de 200 metros.
A equipe "Gralha Azul" da UFPR e UP ambas de Curitiba
e a da UTFPR de Francisco Beltrão, campeão da categoria
Apogeu de 500 metros.
A equipe "Greave" da Universidade Positivo (UP) de
Curitiba, que atingiu a maior altura na categoria Apogeu

de 1000 metros (categoria esta que não houve vencedores
devido as equipes participantes não terem atingindo a
altura minima de 600 metros) e também vencedora do
Prêmio de Fotografia do Festival.

Pois é leitor, e assim foi encerrada a entrega dos prêmios aos vencedores do festival, ficando evidente para todos que o Estado do Paraná foi o grande vencedor do evento deste ano, o que deverá estimular as equipes de outros estados e serem mais competitivas em 2018, onde esperamos puder contar também com a participação internacional. Avante galera, olha aí, os paranaenses estão tirando onda, rsrsrsrsrs.

As atividades prosseguiram então com a entrega de certificados de participação e também do ultimo Premio do Festival, ou seja, o Premio Von Braun de Minifoguetes, que foi entregue a empresa americana Altus Metrum pelo apoio no fornecimento de Altímetros MicroPeak utilizados durante o festival e também ao blogueiro Duda Falcão do Blog BRAZILIAN SPACE (rsrsrsrsrs, eu mesmo) em reconhecimento a contribuição significativa do Blog (segundo a organização do evento) à popularização do Espaçomodelismo e dos Minifoguetes no Brasil. Confesso leitor que esse prêmio me pegou de surpresa, deixando-me bastante emocionado e sem palavras para agradecer a todos pelo reconhecimento do nosso trabalho, um grande estimulo para continuar fazendo o que faço, muito obrigado a todos vocês.


Momento em que recebi o Prêmio Von Brau de Minifoguete.
O Prêmio Von Braun de Minifoguetes.

Pois é leitor, e assim após a foto oficial do Festival, foram encerradas as atividades do evento deste ano, e como o horário do meu voo já estava se aproximando, me despedi de todos e na companhia do Sr. Roberto de Paula da Bandeirante Foguetes Educativos, segui de táxi para o Aeroporto, onde mais tarde pela empresa Avianca pegaria o vôo de volta para minha querida e violenta cidade de São Salvador.


Foto oficial do evento.


De minha parte agradeço a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) na pessoa do seu coordenador, o Prof. João Batista Garcia Canale, pela sua gentileza de proporcionar a nossa presença neste importante evento de Foguetemodelismo, e também toda galera paranaense, os Profs. Carlos Henrique Marchi e Diego Fernando Moro (UFPR), Alysson Nunes Diógenes e Antônio Carlos Foltran (UP), Paulo Roberto Lagos e Amauri José da Luz Pereira, ambos do Colégio Estadual do Paraná e seus alunos como o Álvaro Ricardo Ferreira Bento Jr. e o Josenei Godoi de Medeiros (UFPR). Muito obrigado galera a todos vocês pela cordialidade e atenção como fui tratado durante os quatro dias em que permaneci na capital paranaense e espero poder revê-los em breve.

Duda Falcão

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Vitor!

      O0brigado amigo, estamos na luta.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Parabéns DUDA.
    Muito boa cobertura do evento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roberto!

      Obrigado amigo, graças as atividades de fogueteiros como vocês e de profissionais que ainda fazem algo dentro PEB meu trabalho é facilitado, pois assim tenho o que divulgar para Sociedade fugindo das fantasias de uma Agencia Espacial que é uma tremenda piada e que vive da incompetência de seu presidente.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  3. Parabéns pelo ótimo relato Duda, principalmente pelo registro fotográfico de tantas equipes. Gostaria de fazer duas observações: a foto que você indicou como a equipe campeã da categoria 50 m na verdade é da equipe LCECP da UFPR de Palotina que ficou em terceiro lugar; a segunda observação é que não houve campeão na categoria 1000 m porque nenhum equipe atingiu a altura mínima de 600 m. Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Prof Marchi!

      Obrigado que bom que gostou. Peço-lhe então se possível que me envie a foto correta da equipe vencedora da categoria 50 m para que eu possa fazer a correção e quanto a campeã na categoria de 1000 m eu farei uma pequena correção na descrição.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  4. Parabéns Duda Falcão pelo brilhante e minucioso relato grandioso evento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Astronomia!

      Obrigado estamos na luta.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir